Portal JC.com - Um Jeito Novo de Informar e Divulgar

Widgets

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.8/5 (33021 votos)


ONLINE
4








Total de visitas: 2018124

Dicas para seu dia 4

Dicas para seu dia 4

botão

                                 

 

  

logo

7 ERROS DE DISCIPLINA DOS PAIS

Pais 

Os sete erros mais comuns e o que fazer para consertá-los

 

Seu filho está com sono, mas você insistiu para que ele a acompanhasse durante as compras no supermercado. No meio do corredor, ele pede uma bolacha e você diz que não pode comprar naquele momento. Pronto, começa o choro e você já não sabe mais o que fazer para acalmar o pequeno.

Quais os pais que nunca passaram por uma situação desta, em que não perceberam os sinais que o filho deu, e depois sofreram com as consequências do mau comportamento da criança? Sabemos que você dá seu melhor para criar os pequenos, mas também sabemos que os pais não são à prova de erros.

Por isso, selecionamos os sete erros mais comuns que os pais cometem na hora ensinar os pequenos a terem disciplina, e o que fazer para ajudar os pequenos a se comportarem melhor:

Muitos nãos

Você sempre pede para o seu filho não brigar com os amigos, não puxar o rabo do cachorro, não mexer nos papeis em cima da mesa, não, não, não... Mas você já pensou em pedir para os pequenos fazerem aquilo que você considera correto? Deixe os “nãos” para aqueles momentos realmente perigosos (como “não mexa no fogão”) e procure pedir para o seu filho fazer o que você espera, elogiando o comportamento, quando for adequado.

Esperamos demais

Você está em um restaurante ou em um ambiente silencioso, quando seu filho começa a falar alto. Antes de ficar desesperado, lembre-se que seu filho pode não saber como se comportar ali. Explique porque é importante ficar em silêncio naquele ambiente e use as outras pessoas como exemplo. Se não resolver, retire a criança do local até que ela se acalme, diga o que você espera que ele faça e volte.

Seja um bom exemplo

Se você grita quando derruba alguma coisa, ou xinga enquanto dirige, não espere que seu filho aja diferente. As crianças se espelham nas atitudes e comportamento dos pais em diferentes situações. Por isso, preste atenção naquilo que você faz na frente do seu filho e, quando escapar alguma falha, peça desculpas e explique porque teve aquela atitude.

Deixe a criança explorar

Você não precisa brigar com seu filho a cada atitude que ele toma e que pode incomodar os mais velhos. As crianças fazem algumas coisas para aprender e testar seus próprios limites. Lembre-se disso quando ele estiver jogando suco no prato ou mexendo na comida com as mãos. Se não é perigoso para a criança, deixe-a descobrir novas situações e veja se vale a pena chamar a atenção da criança.

Fique firme

Muitas vezes, você pede para seu filho desligar a TV, mas negocia mais alguns minutinhos e fica num círculo vicioso, até que ambos se irritem e comecem a discutir. Quando determinar o fim da brincadeira ou a hora de ir embora, seja firme na sua proposta e tome a iniciativa.

Castigo não eficiente

Quando você pede para o seu filho ir para o quarto depois de uma briga com o irmão ou com um amigo, ele esperneia e acaba causando um problema maior do que o inicial. Isso pode ocorrer porque algumas crianças veem o castigo como uma rejeição dos pais, e não como um tempo para refletir. Tente sentar ao lado do seu filho até que ele se acalma e explique o motivo pelo qual você não gostou da atitude dele, reforçando o que você quer que ele faça da próxima vez. Se você estiver muito bravo para fazer isso, fique um tempo sozinho, acalme-se e só então converse com a criança.

Cada criança é diferente

O que funciona perfeitamente com uma criança pode ser um fracasso com outra. Por isso, entenda como seu filho funciona e se adapte ao comportamento dele também. Qualquer que seja a atitude necessária, seja firme e lembre-se que o mais importante é ajudar o seu filho a aprender o que melhor para ele.

 

Fonte: Revista Pais & Filhos


 COMO LUTAR POR UM DIREITO É TÃO DIFICIL!

Sempre lutar

 

Tenho presenciado através de todas as mídias noticias de movimentos por melhores condições de trabalho de várias categorias de trabalhadores.

O que posso notar é que a uma dificuldade enorme de se conseguir as reivindicações que cada categoria quer e precisa para melhorar, mesmo que estas reivindicações sejam simples e por direito.

Há categorias que estão abandonadas quanto aos seus direitos mais básicos, seja na falta de condições de trabalho, seja na falta de remuneração digna por seu trabalho, seja no abandono de investimento e a falta de interesse que esta categoria se desenvolva.

Vou citar, por exemplo, no caso dos professores.

Qual é o problema que não se pode realmente conceder os direitos a que esta categoria tem por lei?

O que é tão complicado e difícil de ser feito para que esta categoria seja vista com outros olhos quando ela reivindica um direito tão básico para seus integrantes?

Qual o problema em lutar por uma melhora de qualidade e vida em sua profissão?

Por que lutar por direitos que são verdadeiros torna estas pessoas mal vistas e associadas a uma ideia de que querem simplesmente causar problemas?

Com a palavra as autoridades.

Que elas expliquem o porquê de tantas perguntas ficarem muitas vezes sem respostas. E quando estas perguntas são respondidas sempre há uma desculpa para a não solução deste problema.

Vejo desculpas das mais esfarrapadas e sem o menor consenso muitas vezes, sempre há desculpa de falta de recursos financeiros, sempre se associa a solução a outras questões que nada tem haver com a categoria, são criadas e inventadas as mais diversas formulas magicas para iludir e sempre postergar as reivindicações.

Muitas vezes é usado a coação e todo tipo de pressão psicológica para que a pessoa desista de suas reivindicações e usado para isso mecanismos que estas autoridades têm em suas mãos.

Se for um direito adquirido da categoria, o porquê destas reações destas autoridades?

Aonde esta a tão falada boa administração para a coletividade? Ou estas pessoas não fazem parte desta coletividade?

Não seria melhor, em vez de pressão, uma boa e justa negociação para a solução de um grave problema?

De que adianta fechar os olhos para uma situação desta, se vemos que a cada dia, este profissional esta cada vez mais desiludido com sua profissão (não a profissão em si, mas como ela é vista e tratada), Como todos nós seja como sociedade organizada podemos cobrar um serviço de qualidade se nem o direito deste profissional é atendido?

 

Esta categoria não pede favores,

pede simplesmente que seja valorizada e respeitada em seus direitos válidos perante a lei.

 

As "autoridades" não têm de ser boazinhas ou fazer favorzinhos não, não faz mais que a obrigação de respeitar e cumprir com seu trabalho corretamente, afinal é para isso que estão lá. Não se pode pensar de outra forma não! Nenhuma destas “autoridades” tem que ser confundidas como se fossem um amigo, um irmão, ou uma pessoa que esta fazendo um grande favor por sua coletividade, ela é simplesmente uma pessoa que tem que cumprir a lei e ver o que é melhor para dar uma vida melhor a seus cidadãos.

Os recursos são públicos e são eles que pagam estas melhorias não esta autoridade, jamais caia nesta conversa, não se deixe iludir. Que haja a tão propagada transparência nas atitudes, mas que de transparente não tem nada de verdade.

 

Marcelo Martins


 TENTAR VALE A PENA
Vale a pena tentar

E se parássemos de nos contentar com pouco e percebêssemos que podemos ser e fazer muito mais?

E se deixássemos as primeiras ideias de lado, aquelas que surgem fácil na cabeça de qualquer um e nos forçássemos a ser mais criativos, buscando novos e diferentes caminhos?

E se nos habituássemos a pensar grande?

E se começássemos a ver as coisas por outros ângulos, ampliando nossa percepção e apurando nossa sensibilidade quanto à matéria-prima que nos cerca?

E se lêssemos mais, nos informássemos mais, fizéssemos mais e reclamássemos menos?

E se ao invés de falarmos sobre doenças e problemas, competindo na gravidade de nossas tragédias com amigos e familiares, discussões intermináveis sobre quem se ferrou mais na vida, passássemos a falar sobre o que fazemos de bem e temos de bom?

E se percebêssemos que há gente em situação menos privilegiada tirando a vida de letra, chupando cana, assoviando e criando suas próprias oportunidades?

E se mudássemos a nossa própria sorte através da ação?

E se nos permitíssemos acertar menos na prova e errar mais na vida, reconhecendo que o vice-versa também é válido?

E se falássemos menos, ouvíssemos mais, ampliando o conhecimento de nós próprios a partir do entendimento generoso daqueles que nos cercam e impactam nossa vida?

E se criássemos mais?

E se copiássemos menos?

E se déssemos para nossas crianças livros e brinquedos, não só brinquedos?

E se fôssemos menos mórbidos e deixássemos os bombeiros trabalharem em paz?

E se desligássemos a passividade da TV por uns instantes e procurássemos informação por outros meios?

E se ouvíssemos mais rádio, lêssemos mais revistas e jornais?

E se fôssemos mais ao cinema? Nem que fosse para assistir a um besteirol qualquer, com o único compromisso de sair com uma barriga dura e o maxilar doendo, de tanto rir?

E se esquecêssemos de nossos circunstanciais inimigos, na certeza de que eles nos esqueceriam também?

E se virássemos o lado arranhado do disco da nossa vida e nos déssemos o direito de tocá-la num ritmo novo, mais criativo em letra e música?

E se tivéssemos a consciência do mal que fazemos aos outros?

E se esforçássemos mais em fazer o bem sem olhar a quem?

E se respeitássemos mais nosso coração do que a razão?

E se percebêssemos como é fácil fazer alguém feliz com nossas atitudes.

E se percebêssemos que nunca é tarde para começar, muito menos para recomeçar?

E se começássemos tudo isso agora?

Tenha a certeza: valeria a pena.

 

logo

Pub

 

REVISTA QUINZENAL

Revista Novas Ideias/Maio/2018


 foto   

 

foto


You Tube    Facebook
ACESSE CLICANDO NA IMAGEM

PORTAL JC.COM
A face de Jesus
 
JESUS TE OLHA

TERÇO COM
NOSSA SENHORA AUGUSTA
RAINHA DOS ANJOS
Sua Oração faz milagres

TERÇO DIVINA PROVIDÊNCIA 

 

TERÇO MISTÉRIOS GLORIOSOS 


Novas Ideias Reflexão Receitas do Paraná

 Comportamento Saúde Portal JC 

botão logo Portfólio Novas Ideias

LITURGIA DIÁRIA

CONSULTE PARA FICAR 

SEMPRE INFORMADO



anuncio


 


  ACESSOS AO PORTAL


    FOTO

 


A PARÁBOLA DO 

SEMEADOR

 

 

Naquele mesmo dia Jesus saiu de casa e se sentou à beira do lago.  Uma grande multidão se juntou ao seu redor. Havia tanta gente que Jesus entrou num barco e se sentou; e toda a multidão permanecia de pé na praia. Jesus lhes ensinou muitas coisas por meio de parábolas [a]. Ele dizia:

—Certo homem saiu para semear. 4 Enquanto semeava, uma parte das sementes caiu à beira do caminho e os pássaros vieram e as comeram.  Outra parte caiu no meio de pedras, onde havia pouca terra. Essas sementes brotaram depressa pois a terra não era funda, mas, quando o sol apareceu, elas secaram, pois não tinham raízes.  Outra parte das sementes caiu no meio de espinhos, os quais cresceram e as sufocaram. 8 Uma outra parte ainda caiu em terra boa e deu frutos, produzindo 30, 60 e até mesmo 100 vezes mais do que tinha sido plantado.  Quem pode ouvir, ouça.

Para que servem as parábolas

 Os discípulos de Jesus, então, se aproximaram dele e lhe perguntaram:

—Por que o senhor ensina o povo por meio de parábolas?

 E Jesus lhes respondeu:

—Somente a vocês é dado o privilégio de conhecer as verdades secretas do reino do céu e não aos outros.  Pois quem tem, receberá ainda mais e terá em abundância. Mas quem não tem, até o que tem lhe será tirado.  E é por isto que ensino o povo por meio de parábolas: Eles olham, mas não vêem; ouvem, mas não entendem.  Portanto, por intermédio deles acontece o que disse o profeta  Isaías:

“Vocês ouvirão mas, mesmo ouvindo, não conseguirão entender;

vocês olharão mas, mesmo olhando, não conseguirão ver.

 Isto acontece pois o coração deste povo está endurecido.

Eles taparam os ouvidos e fecharam os olhos.

Se não fosse assim, eles poderiam ver com os olhos,

ouvir com os ouvidos e entender com o coração,

e se voltariam para mim e eu os curaria”.

 —Mas felizes são os seus olhos, pois eles podem ver; e os seus ouvidos, pois eles podem ouvir.  Digo a verdade a vocês: Muitos profetas e homens justos desejaram ver as coisas que vocês vêem, mas não viram. Eles desejaram ouvir o que vocês ouvem, mas não ouviram.

Jesus explica a parábola do semeador

 —Ouçam o que a parábola  daquele que semeia quer dizer.  A semente que caiu à beira do caminho representa a pessoa que ouve a mensagem a respeito do reino, mas não a compreende, e Satanás então vem e tira as coisas que foram semeadas em seu coração.  A semente que caiu no meio de pedras representa a pessoa que ouve a mensagem a respeito do reino e a aceita imediatamente e com muita alegria.  Mas, como não tem raiz, não dura muito tempo. Assim que encontra dificuldades ou que é perseguida por causa da mensagem, abandona a sua fé.  A semente que caiu no meio de espinhos representa a pessoa que ouve a mensagem a respeito do reino mas é sufocada pelas preocupações com as coisas desta vida e pela ilusão das riquezas. Essa pessoa não produz nenhum fruto.  Mas a semente que caiu em terra boa representa a pessoa que ouve a mensagem e a compreende. Essa pessoa cresce e produz muitos frutos, algumas vezes trinta, outras sessenta e outras ainda cem vezes mais.


       ⇐ Voltar ao Início 

foto
 
"MINHAS PALAVRAS
NÃO PODEM ESPERAR"
Nossa razão de existir como um portal de divulgação

 

Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.

Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.

Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.

Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.

Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,.

Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.

Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.

Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.

Porque tu, ó Senhor, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação.

Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.

Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.

Pisarás o leão e a cobra; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome.

Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei.

Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação

Salmos 91:1-16

 

 

⇐ Voltar ao Início